A Volta do Termômetro

Fevereiro 8, 2009 | 4 Comments

Não sei quem se lembra , mas em 2007 , a Rede Municipal de Educção carioca foi assolada por um processo de Aprovação Automática ( travestida de Ciclos de Formação). Na época, eu fiz um paralelo entre a avaliação e o termômetro. Disse que estavam colocando a culpa da febre no termômetro e para facilitar as coisas o termômetro foi abolido. Ninguém teve febre, ninguém tinha como ser devidamente diagnosticado e todos eram promovidos.

Vida nova. Já aviso de antemão que sou contra a reprovação por ela própria. A reprovação é o último recurso depois de todas as tentativas possíveis e impossíveis para recuperar o aluno. Também aviso aos desavisados que não acho que tudo venah a ser resolvido por essa nova secretaria de educação. Mas vejo uma luz no fim do túnel.

Primeiro, estão falando o óbvio. E o óbvio tem que ser dito. Aluno que não sabe ler e escrever não consegue aprender nenhuma disciplina. Aluno que não sabe resolver problemas com as 4 operações, nem tem idéia de como ler um gráfico ou uma tabela de dupla entrada e nem sabe o que é porcentagem; não pode aprender coisas mais complexas. E é nesse momento que estamos. Vamos graduar o termômetro. Vamos saber quem sabe e quem não sabe, para dar a assistência a quem não sabe.

Não adianta eu querer ensinar um cálculo de deslocamento, se o menino mal sabe somar. E não é culpa do menino! Esse aluno não tem que pagar pelo descompromisso de muitos. Tem que se ensinar. E ai sim ir adiante. Nestes dias estamos revendo ( eu falei em revisão) o que o aluno tinha que estar sabendo naquele ano. Ele será avaliado com aquele conteúdo. E ai.. tomaremos as decisões. Fácil? Nada disso ! Complicadíssimo.

O nosso termômetro está mal regulado. Temos que “azeitar o termômetro”. Temos que ver até onde podemos considerar normal ou uma febre alta. Temos que rever a nossa caixa de remédios, para não matar o paciente com os remédios errados ou em dose muito acima do normal. Mas temos de novo um termômetro, um norte e uma diretriz.

O blá, blá, blá parece que ficou esquecido. Até as mesmas pessoas, que falavam tão bem dos Ciclos, estão fazendo  outro discurso. E eu estou aliviada, porque posso fazer o meu trabalho em paz.



Name (obrigatório)

Email (obrigatório)

Website

Speak your mind